Manutenção preditiva, preventiva e corretiva: o que são?

Os custos relacionados à manutenção representam boa parte das despesas operacionais do processo produtivo de uma planta fabril. Diante deste fato, muitas empresas utilizam metodologias diversas para otimizar seus processos e, consequentemente, reduzir os custos diretos e indiretos. É importante destacar que muitas vezes a aplicação de uma metodologia em um processo produtivo implica na reestruturação de diversas camadas da companhia e não somente no chão de fábrica.

Para buscar os resultados de performance produtiva, as empresas precisam aumentar diariamente a disponibilidade de máquina. Para isso, diversas técnicas de manutenção são aplicadas para obtenção do resultado esperado. Dentre as técnicas mais difundidas e utilizadas no mercado, destacam-se:

– Manutenção Corretiva: Neste procedimento, ocorre a atuação nos equipamentos para corrigir falhas, quebras/defeitos ou baixo desempenho, realizando intervenções que façam com que as máquinas retornem à operação normal. A manutenção corretiva só será indicada se existir falha que não pode ser prevenida.

– Manutenção Preventiva: Este procedimento é comumente utilizado em grande parte das companhias para checagem periódica de máquinas e equipamentos com o objetivo de prevenir possíveis falhas futuras. O procedimento demanda uma parada de processo e a disponibilidade de mão de obra especializada para a execução da atividade.

– Manutenção Preditiva: O objetivo principal é a redução de custos e o aumento da produtividade. Através deste procedimento, a própria máquina deverá informar aos responsáveis o momento da necessidade de uma intervenção no equipamento. Desta forma, os custos relacionados com paradas de produção periódicas e programação de mão de obra poderão ser reduzidos consideravelmente.

Pode-se afirmar que a Manutenção Preditiva não é um produto de prateleira, sendo necessário um estudo e desenvolvimento para cada situação e/ou equipamento. A manutenção preditiva utiliza alguns pilares da Indústria 4.0 para o seu funcionamento, como por exemplo: IoT (Internet of Things), Data Base, Data Analytics e Machine Learning.

Também são utilizados dados, modelos matemáticos e técnicas de aprendizado de máquina para identificar a probabilidade de resultados futuros a partir de dados históricos e antecipar um possível problema. O objetivo é ir além de saber o que aconteceu para obter uma melhor avaliação do que poderá acontecer no futuro.

A Manutenção Preditiva deve ser realizada por profissionais habilitados com capacidade para desenvolver algoritmos em plataformas de TI, integrando-os com o processo existente no cliente, de forma a criar um modelo de máquina/processo, e buscar a tão almejada informação preditiva. Assim, é possível melhorar indicadores de produção/manutenção e, principalmente, evitar perdas, obtendo-se, consequentemente, a redução de custos.

Texto escrito por: Bruno Luiz da Silva – Engenheiro de Automação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.