A dura realidade da jornada da transformação digital nas empresas

Muito se tem dito sobre o tema “transformação digital nas empresas”, o interessante é que essa transformação passou a ser tratada como uma situação atual, porém esse processo já vem acontecendo nas empresas, ou pelo menos deveria estar acontecendo, há alguns anos.

A partir do momento que as empresas começaram a adotar sistemas para controlar e acompanhar seus processos produtivos, administrativos e comerciais elas iniciaram sua entrada no mundo digital. Porém, com o avanço acelerado das tecnologias tanto de hardware quanto de software, assim como avanços nas infraestruturas de comunicação possibilitaram um verdadeiro salto e trouxe o termo, tão utilizado atualmente: Transformação Digital.

Dois pontos muito importantes diferenciam essa revolução no mundo dos negócios das anteriores: a conectividade entre as pessoas e a velocidade com que as informações passaram a ser divulgadas. Uma tecnologia, ou mesmo uma ideia criada e divulgada neste exato momento no Japão pode em questão de segundos circular todo o planeta. O que traz grandes possibilidades e preocupações maiores ainda.

Mas o que talvez gere a maior ansiedade nas corporações sejam as perguntas básicas para se implementar qualquer processo no mundo corporativo: COMO? QUANDO? QUANTO?. A realidade da grande maioria das empresas, e restringindo apenas no setor industrial, é que elas não têm profissional e muito menos tempo para dedicar a um projeto de transformação digital da maneira adequada.

Em um cenário onde equipamentos de última geração convivem lado a lado com equipamentos de décadas atrás e que estão a pleno vapor em sua produção torna-se necessário conhecimentos específicos de automação, processos, eletrônica e sistemas para tirar o máximo de proveito das novas tecnologias.

O outro grande desafio é provar para a alta gestão da empresa, as vantagens e benefícios de uma implantação desse porte para que o profissional do chão de fábrica tenha uma visão clara e precisa dos indicadores de produção e detecte falhas no processo de forma preditiva, mas no final, é necessário monetizar esse retorno para que o projeto ganhe apoio da diretoria e investidores.

A estratégia mais indicada é identificar o projeto como um todo, partir de uma iniciativa mais simples, que viabilize avaliar o processo de construção e o retorno do investimento (ROI),  se aproveitando das tecnologias disponíveis para expandir de forma rápida em todo o processo produtivo.

Nossa estratégia de implementação da transformação digital:

Assim as tecnologias devem ser flexíveis e escaláveis de forma a proporcionar condições de absorver as adversidades desse cenário. Um ponto primordial é ter uma ideia do todo e de onde se quer chegar para ter visibilidade, controle e atuação sobre os processos existentes dentro da instituição, porém ter a condição de iniciar em processos menores para verificar, viabilidade, relação de custo x benefício, taxa de retorno de investimento e adaptações necessárias é o grande trunfo dessas tecnologias, assim conseguimos avançar de forma rápida para alcançar o todo.

A ProConcept atua com tecnologias e parceiros para levar aos seus clientes o que for mais adequado a sua realidade, dando as mãos nesse processo desde o planejamento até a implantação e acompanhamento das soluções. Entre em contato conosco e saiba com você pode se beneficiar da transformação digital.

Como evoluir na transformação digital?

O fenômeno Transformação Digital está relacionado à adoção de um ou mais tipos de tecnologia, que as empresas devem investir, como forma de inovar e incrementar seus processos operacionais e de negócios. Isso torna-se necessário para que consigam superar os desafios da modernidade com o objetivo de se manterem competitivas, e até mesmo, garantir sua própria existência.

O emprego de tecnologias de IIoT (Internet das Coisas Industrial) impacta de forma positiva e exponencial o desempenho das organizações reduzindo custos, eliminando desperdícios, aumentando a produtividade criando assim, maior independência entre as áreas, melhorando a qualidade dos produtos e serviços gerando uma maior satisfação dos clientes e ajudando a perpetuar a empresa no mercado.

São inúmeros os itens que compõe a “cesta” da Transformação Digital, e varia de empresa para empresa e de seu estágio no processo de inovação. São eles:

  • segurança de dados
  • automatização
  • digitalização
  • infraestrutura tecnológica
  • sistemas de gestão
  • integração de dados
  • interconexão de equipamentos e sistemas
  • big data
  • computação em nuvem
  • inteligência artificial,
  • realidade virtual e aumentada
  • predição e muito mais.

Tudo isso com respeito ao meio ambiente procurando sempre optar por soluções que, por exemplo, consumam menos energia.

Para obter sucesso com essa modernização as empresas devem investir, dentro do possível, na criação de um comitê capaz de envolver os responsáveis de cada uma das áreas, passíveis de transformação, para identificar as principais dificuldades a serem superadas, as prioridades, os impactos e interferências entre as áreas e a sequência de execução. Cabe também ao comitê promover, em conjunto com o RH, a disseminação da cultura da Transformação Digital em toda a empresa através de palestras e/ou treinamentos para envolver todos os profissionais no processo e reforçar a consciência sobre a importância que esse processo trás para a organização, além de mantê-los atualizados quanto aos resultados alcançados.

Um fator importante a ser observado pela empresa que pretende iniciar o processo de implementação da IIoT é saber identificar, dentre as necessidades, qual é o melhor projeto a passar pela inovação. A estratégia mais indicada é começar por aquele que faça sentido para o negócio, mas que tenha um escopo pequeno e de fácil implementação. Isso funcionará como uma prova de conceito que permitirá avaliar os resultados operacionais e o ROI daquela etapa, e servirá como incentivo e como balizador para o desenvolvimento das etapas seguintes.